Páginas

domingo, 20 de junho de 2010

Lao Tsé

- poeta chinês – cerca de 604 a. C. -
Sobre o absoluto Tao

O Tao de que se pode falar
Não é o Tao absoluto.
Os nomes que podem ser dados
Não são nomes absolutos.

O indizível é a origem do Céu e da Terra.
O denominado é a mãe de todas as coisas.

Portanto:
Há quem muitas vezes se dilacere de paixão
Para ver o segredo da vida;
Há quem muitas vezes encara com paixão a vida;

A fim de ver suas formas manifestas.
À ambos podem ser chamados o Mistério do Cosmo.
São da mesma natureza,
A qual se dá diversos nomes
Quando se tornam manifestos.

Ambos podem se chamados o Mistério do Cosmo.
Abarcando o Mistério e o Mistério mais profundo,
Eis a porta do segredo de toda vida.
_____________
O pensamento de Lao Tsé
Tradução da versão alemã – H. Von Glasenapp.
______________________________

4 comentários:

Anônimo disse...

Martha,
como gostei disso!!!

Amei isso aqui:

"Portanto:
Há quem muitas vezes se dilacere de paixão
Para ver o segredo da vida;
Há quem muitas vezes encara com paixão a vida;

A fim de ver suas formas manifestas."

Continue Martha a nos encantar com a elegância, beleza e profundidade de suas postagens.

beijos
denise

Martha Pires Ferreira disse...

Denise,
Sempre sou grata por suas palavras tão afetuosas e por sua pessoa que me le nessas minhas páginas soltas,libertária como sou!
alegria >>> sempe,
martha

Martha Pires Ferreira disse...

Denise, ao dizer 'minhas páginas soltas' estou incluindo textos de autores que fazem parte de mim,
Uma vez vendo e ouvindo Antônio Menes / violoncelo, eu me disse:"como sei tocar divinamente!", Ele era eu / eu estava nele >>> e assim outros são em mim.
até mais, sempre, martha

Anônimo disse...

Martha querida,
uma delícia estar aqui.
E agora vim te ver e dei de cara com seu lindo post acima.
Ver, pensar, sentir, intuir!!!!
Que maravilha!
Saio daqui sempre com o fôlego sem fôlego ao te ler.rs
beijos
e até mais, sempre,
denise