Páginas

domingo, 31 de outubro de 2010

Viva a Democracia!

Dilma Rousseff
Presidente eleita do Brasil
*
31 de outubro de 2010
20:13
Brasília
*
Viva o povo Brasileiro!
Viva a Democracia!
Viva o Brasil!
__________________________

sábado, 30 de outubro de 2010

Contos de Fada - III

Como processo terapêutico e prazer da narrativa

Histórias tradicionais do Ocidente e do Oriente.

As riquezas simbólicas do mundo interno e externo.
Feminino e masculino / realidade e fantasia.

Abordagem psicológica: Marie Louise Von Franz e C.G.Jung

Histórias maravilhosas de Encantamento:

Almofadinha de ouro/O Camponês e a serpente /
*
As três plumas / João de Ferro /
*
Um olhinho, dois olhinhos, três olhinhos /
*
O homem que sabia florescer as árvores mortas /
*
As duas Fadas / Os três fios de ouro dos cabelos do diabo.

Narradoras:
Martha Pires Ferreira e Ana Luiza Motta

dias: 5, 12, 19 e 26 de novembro.
dias: 3 e 10 de dezembro / 2010
(sextas-feiras - das 19h às 20h30)

Casa das Palmeiras
Rua Sorocaba, 800 - Botafogo.
Inf. 2266-6465 / 2242-9341

Preço: R$ 80,00 (todo o curso) e R$ 40,00 /estudantes.
(Caso queira assistir um dia R$ 20,00 cada vez).

Tragam amigos/as para juntos nos encantarmos
e sermos felizes para sempre !

Benefícios para a Casa das Palmeiras
____________________________________
É o terceiro curso que organizo para ajudar
a Casa das Palmeiras
Agradeço, antecipadamente, gentil divulgação.
Martha Pires Ferreira
______________________________

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Mau uso da religião

Acabo de receber este artigo do meu amigo Leonardo Boff - Teólogo
~~~~~~~~~~
O mau uso político da religiosidade popular

Leonardo Boff

A religiosidade popular está hoje em alta pois foi um dos eixos fundamentais da campanha eleitoral, especialmente em sua vertente fundamentalista. Foi induzida pela oposição e por uma ala conservadora de bispos de São Paulo, à revelia da CNBB, acolitada depois por pastores evangélicos. Sem projeto político alternativo, Serra descobriu que podia chegar ao povo, apelando para temas emocionais que afetam à sensível alma popular, como o aborto e a união civil de homossexuais, temas que exigem ampla discussão na sociedade, fora da corrida eleitoral. Política feita nesta base é sempre ruim porque faz esquecer o principal: o Brasil e seu povo, além de suscitar ódios e difamações que vão contra a natureza da própria religião e que não pertence à tradição brasileira.

Historicamente a religiosidade popular sofreu todo tipo de interpretação: como forma decadente do cristianismo oficial; os filhos da primeira ilustração (Voltaire e outros) a viam como reminiscência anacrônica de uma visão mágica do mundo; os filhos da segunda ilustração (Marx e companhia) a consideravam como falsa consciência, ópio endormecedor e grito ineficaz do oprimido; neodarwinistas como Dawkins a lêem como um mal para a humanidade a ser extirpado.

Estas leituras são canhestras pois não fazem justiça ao fenômeno religioso em si mesmo. O correto é tomar a religiosidade por aquilo que ela é: como vivência concreta da religião na sua expressão popular. Toda religião significa a roupagem sócio-cultural de uma fé, de um encontro com Deus. No interior da religião se articulam os grandes temas que movem as buscas humanas: que sentido tem a vida, a dor, a morte e o que podemos esperar depois desta cansada existência. Fala do destino das pessoas que depende dos comportamentos vividos neste mundo. Seu objetivo é evocar, alimentar e animar a chama sagrada do espírito que arde dentro das pessoas através do amor, da compaixão, do perdão e da escuta do grito do oprimido. E não deixa de fora a questão do sentido terminal do universo. Portanto, não é pouca coisa que está em jogo com a religião e a religiosidade. Ela existe em razão destas dimensões. Um uso que não respeite esta sua natureza, significa manipulação desrespeitosa e secularista, como ocorreu nas atuais eleições.

Não obstante tudo isso, importa tomar em conta as instituições religiosas que possuem poder e um peso social que desborda do campo religioso. Este peso pode ser instrumentalizado em diferentes direções: para evitar a discussão de temas fortes como a injustiça social e a necessidade de políticas públicas orientadas para quem mais precisa e outros temas relevantes.

É nesse campo que se verifica a disputa pela força do capital religioso. E ela ocorreu de forma feroz nestas eleições. Curiosamente o candidato da oposição, se transformou num pastor ao fazer publicar num jornal que eu vi:”Jesus é verdade e justiça”, com a assinatura de próprio punho, como se não nos bastassem os Evangelistas para nos garantirem esta verdade. O sentido é insinuar que Jesus está do lado do candidato, enquanto o outro é satanizado e feito vítima de ódio e rejeição. Eis uma forma sutil de manipulação religiosa.

Um católico fervoroso me escreveu que queria “me retalhar em mil pedaços, queimá-los, jogá-los no fundo do poço e enviar a minha alma para os quintos dos infernos”. Tudo isso em nome daquele que mandou que amássemos até os inimigos. O povo brasileiro não pensa assim porque é tolerante e respeitador das diferenças e porque crê que no caminho para Deus podemos sempre somar e nos dar as mãos.

Só não desnatura a religiosidade aquela prática que potencia a capacidade de amor, que nos ajuda na auto-contenção da dimensão de sombras, nos desperta para os melhores caminhos que realizam a justiça para todos, garante os direitos dos pobres e nos torna não apenas mais religiosos, mas fundamentalmente mais humanos. A quem ajuda a difamação e a mentira? Deus as abomina.
_________________________

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Votar com consciência

Astra inclinant, non necessitant
Os astros inclinam, mas não impõem

Quem vier a governar o Brasil que saiba cuidar de seu povo com nobreza de princípios.

Democracia se constrói todos os dias, incansavelmente, em plena atenção.

A luta contra a desigualdade social e pela solidariedade entre todos os seres humanos, sem exclusões, é o verdadeiro fundamento de uma política digna e progressista.

Nós brasileiros precisamos, cada um de nós, mesmos em se falando a ex-presidentes, precisamos aprender que somos UM; uma totalidade Brasil. Somos um povo plural de idéias, temperamento, tipos, criatividades, projetos; visão de mundo. Todos nós devemos compreender que trabalhar e servir com consciência do bem comum é o melhor caminho para a harmonia e felicidade da nossa pátria. Básico o respeito de uns para com os outros; e aprendendo a amadurecermos deixando de lado esta tendência de se comportar eternamente como adolescentes, com medo de cuidarmos sozinhos de nossas vidas, nossos bens naturais; nossa pátria, Brasil. Devemos construir nosso país com garra, afetuosidade, alegria, prazer e ter sempre o orgulho de que pertencermos a uma nação soberana com nobres princípios e valores tradicionais, aos quais devemos preservar como riqueza de nossa História.

E repetindo: Democracia se constroi todos os dias.
Viva o Brasil! Viva a democracia!
________________________

sábado, 23 de outubro de 2010

Bom Dilma !

Pela manhã ao cumprimentar as pessoas não se esquecer de dar o habitual:

BOM DILMA !

Bom Dilma! Bom Dilma!

À todos que encontrar pela manhã e mesmo em pleno dia, ser gentil:

Bom Dilma 13!

Bom Dilma 13!

Bom Dilma 13!

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Manifesto de artistas e intelectuais pró-Dilma

Nós, que no primeiro turno votamos em distintos candidatos, nos unimos para apoiar Dilma Rousseff. Fazemos isso por sentir que é nosso dever somar forças para garantir os avanços alcançados. Para prosseguirmos juntos na construção de um país capaz de um crescimento econômico que signifique desenvolvimento para todos, que preserve os bens e serviços da natureza, um país socialmente justo, que continue acelerando a inclusão social, que consolide, soberano, sua nova posição no cenário internacional.
Um país que priorize a educação, a cultura, a sustentabilidade, a erradicação da miséria e da desigualdade social. Um país que preserve sua dignidade reconquistada.
Entendemos que essas são condições essenciais para que seja possível atender às necessidades do povo, fortalecer a cidadania, assegurar a cada brasileiro seus direitos fundamentais.
Entendemos que é essencial seguir reconstruindo o Estado, para garantir o desenvolvimento sustentável, com justiça social e projeção de uma política externa soberana e solidária.
Entendemos que, muito mais que uma candidatura, o que está em jogo é o que foi conquistado.
Por tudo isso, declaramos em conjunto, o apoio a Dilma Rousseff. É hora de unir nossas forças no segundo turno para garantir as conquistas e continuarmos na direção de uma sociedade justa, solidária e soberana.
_______________
A idéia do Manifesto surgiu do Eric Nepomuceno (jornalista e escritor) com Chico Buarque de Hollanda (cantor e compositor), recebendo a apoio de Leonardo Boff (teólogo e escritor) e Emir Sader (sociólogo), mais ainda de Oscar Niemeyer (arquiteto) para a organização do abaixo assinado e convocar artistas e intelectuais a formarem força para garantir os avanços do governo Lula. O documento foi entregue à Dilma Rousseff no ato público / Teatro Oi Casa Grande, Leblon, Rio de Janeiro, 18/10/2010.

Mais de sete mil artistas e intelectuais assinaram o Manifesto além dos já mencionados aqui no blog. Entre eles ainda; Frei Betto, Aderbal Freire Filho, Cristina Buarque de Hollanda, Rosemarie Muraro, Aroeira, Debora Colker, Elisa Byinton, Fernando Morais, Domingos de Oliveira, Isaac Karabishevsky, Ivana Bentes, José Joffily, Mãe Márcia dÓxum, Muniz Sodré, Perfeito Fortuna, Otávio Velho, Rosemary,Maria Rita Kehl, Luiz Pinguelli Rosa,Maria da Conceição Tavares, Ricardo Cravo Albin, Jandira Feghali, Sérgio Cabral, Martinália, Noca da Portela, Nelson Sargento, Marieta Severo, Martinho da Vila, , Lucélia Santos, List Vieira, e uma imensidão de pessoas, impossível de registrar aqui.
_____
Sinto-me feliz por ter sido procurada por organizadores para aderir a este Manifesto, e não relutei em ser mais uma a aderir, neste 2º turno com grande esperança, nesta corajosa e destemida mulher que é Dilma Rousseff, para cuidar da Presidência da República do Brasil.
Por um Brasil solidário, igualitário, fraterno, justo, soberano, sabendo que todos somos UM em nossa pluralidade >>> vote Dilma 13
martha pires ferreira
________Democracia se faz todos os dias________

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Teatro Casa Grande

Manifesto de artistas e intelectuais pró-Dilma
O ato de apoio à candidatura de Dilma Rousseff para Presidente da Republica do Brasil, dia 18, segunda-feira, organizado por artistas e intelectuais - idealizado por Chico Buarque de Hollanda, Leonardo Boff, Emir Sader e Eric Nepomuceno - no Teatro Casa Grande foi algo maravilhoso com a presença de mais de mil pessoas que lotaram o Teatro no Rio de Janeiro, tradicional ponto de encontro da resistência esquerda carioca >>>1966 em diante.

A presença do arquiteto Oscar Niemeyer, de 102 anos, que ficou durante todo o ato público no palco, recebeu uma explosão de aplausos. Achegada do compositor Chico Buarque e que se colocou ao lado de intelectuais, artistas e militantes foi outro momento emocionante tão intenso como a chegada de Dilma Rousseff. Os artistas e intelectuais entregaram à Dilma um Manifesto com milhares de assinaturas, incluindo a minha. Recebeu mais dois outros documentos de apoio à sua candidatura - um organizado por advogados e outro por religiosos.

O teólogo e escritor Leonardo Boff disse: "Hoje pela manhã eu pedi um sinal a Deus - ainda tenho algo de monge -se Oscar Niemeyer for ao encontro será um sinal infalível que a vitória está garantida". Neste momento, o arquiteto foi ovacionado pela platéia que gritava seu nome. Leonardo citou a solidariedade como uma das marcas do governo Lula e que Dilma manterá se for eleita. Chico Buarque fez um ligeiro pronunciamento, ao lado de Leonardo, com elogios à Dilma e ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Essa mulher de fibra, que já passou por tudo, não tem medo de nada. Vai herdar o senso de justiça social, um marco do governo Lula, um governo que não corteja os poderosos de sempre, não despreza os sem-terra, os professores, garis. Um governo que fala de igual para igual com todos, que não fala fino com Washington, nem fala grosso com a Bolívia e o Paraguai", sendo muito aclamado.
Entre os presentes: Gilberto Gil, Ziraldo, Wagner Tiso, Alcione, Alceu Valença, Luiz Carlos Barreto, Beth Carvalho, Hugo Carvana, Osmar Prado, Paulo Betti, José Celso Martinez, Fernando Morais. Ainda Michel Temer, Márcio Thomaz Bastos, Humberto Costa, José Gomes Temporão, Nilcéa Freire, Juca Ferreira. O Governador Sérgio Cabral filho e o Prefeito Eduardo Paes. A filósofa Marilena Chauí foi muito aplaudida durante sua fala contundente, decisiva, contra fundamentalismo, em defesa da Demacracia e da liberdade de expressão.

"O que mais está em questão nessa eleição é o que eles farão com as nossas riquezas, o Pré-Sal e com a Petrobras". “A Petrobras (no governo anterior) era para ser partida, esquartejada e ter suas partes vendidas”. A candidata Dilma exaltou como característica do povo "a capacidade de conviver com a diversidade religiosa e racial". "Não somos um país que desfila ódio", discursou Dilma de improviso e com firmeza por mais de quarenta minutos.
A candidata disse ainda que mais de 28 milhões de pessoas saíram da pobreza no governo Lula.
___________________________

http://www.cartamaior.com.br/

Google >> Fotos Arena + Teatro Casa Grande

de Wagner Meier.

________________

sábado, 16 de outubro de 2010

Calúnia e difamação

Estamos em 16 de outubro 2010. Mais uma vez me inquieto com tamanha infantilidade de homens e mulheres na vida pública, na história republicana. As aves de rapina continuam soltas, ciscando boatos ou arquitetando calúnias. Toda oração tem um sujeito da oração. Onde se esconde o acusador, difamador covarde? Não se acusa sem provas.
Para denegrir princípios morais apimenta-se com argumentos religiosos, confundindo o eleitorado menos esclarecido em seus precários fundamentos políticos.

Tenho 71 anos e desde criança que acompanho movimentos políticos, influenciada por meu pai, advogado culto, lúcido dos princípios humanos e éticos. Jamais presenciei coisa semelhante como agora; sórdida campanha política, vergonhosa, que denigre o país como Nação.
Em tempos de eleição chovem a sordidez da mentira e as acusações falsas como grãos de areia. Em grupos de baixo nível intelectual e onde falta alteridade acontecem acusações próprias do submundo. O caluniador tem certo prazer em desacreditar publicamente a pessoa que não comunga de suas próprias idéias, não estando esta de acordo com seu ponto de vista é levado por impulsos em criar acusações falsas com uma facilidade assombrosa.

Indignada com tanta calúnia e difamação, em novembro de 2005, escrevi o artigo Reflexões ou Carta aos Políticos e enviei para amigos.
(Este artigo pode ser lido na íntegra aqui / 11 de setembro de 2010).

Um trecho:

Sempre tivemos, e temos grandes figuras na vida cultural brasileira. São pessoas que nos honram e nos engrandecem.
Desde a Origem dos Direitos dos Povos, levantar falso testemunho, espalhar boatos ou calúnias, eram inverdades tidas como crimes de responsabilidade penal: A calúnia era maldita neste e noutro mundo, ou então, que fosse precipitado na Rocha Tarpéia aquele que prestou falso testemunho. Ouvíamos na Faculdade de Direito, UEG, nos anos 60, o grande jurista, criminalista, Prof. Dr. Roberto Lyra se referindo ao Direito: Falsi teste pejores sunt latronis [as falsas testemunhas são piores que os ladrões].
Não menos constrangedor é observar figurantes políticos, ou não, expor seus rostos na mídia, inescrupulosamente, como se nada tivessem feito de evidentes improbidades. Que qualquer um que cuide das coisas públicas tenha dignidade e competência em suas obrigações parlamentares.
Não são poucos os Homens e as Mulheres que lutam por uma vida justa e prazerosa, e, são eles que sustentam com seus corpos e emoções a base econômica deste Brasil plural, criativo e naturalmente solícito. Heróis do dia-a-dia que são obrigados a votar. Estamos nos referindo aqui aos que trabalham, todos aqueles que sustentam os cofres públicos, toda a vida da nação com a responsabilidade e o suor cotidiano.
_________________
“Quem se eleva, eleva o mundo”, ouvia isto na minha infância.
______________________________

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Voto consciente

Meu voto no 1º turno foi para o PSOL – Plínio Sampaio com orgulho.

Agora >>> minhas razões para votar em Dilma 13

meu eco de apoio >>> Razões que espero de Dilma Rousseff:

Pela continuidade do Programa Luz para Todos, vote Dilma 13!

Em defesa do Brasil, vote Dilma 13!

Contra a venda das riquezas do Brasil, vote Dilma 13!

O Pré-Sal é nosso! vote Dilma 13!

O Banco do Brasil e a Caixa Econômica são nossos! vote Dilma 13!

Contra a privatização da Petrobras, vote Dilma 13!

Contra a privatização da Previdência, vote Dilma 13!

Pela continuidade do Pró-Uni, vote Dilma 13!

Pelo fortalecimento da América Latina, vote Dilma 13!

Por um Brasil respeitado e cidadão, vote Dilma 13!

Pelo MERCOSUL, vote Dilma 13!

Por uma política externa soberana e independente, vote Dilma 13!

Pela continuidade da ação da Polícia Federal, vote Dilma 13!

Pela reforma política, vote Dilma 13!

Pelo combate ao desmatamento, vote Dilma 13!

Pelo Programa Minha Casa Minha Vida, vote Dilma 13!

Pela continuidade do Programa de Aceleração do Crescimento,
(neste caso não precisa acelerar tanto >>> mais cuidados com o meio ambiente, sim)

Pelas questões ambientais, vote Dilma 13!

Pelo aumento da produção da energia renovável, vote Dilma 13!

Para auditoria das dívidas públicas, vote Dilma 13!

Para a tão esperada Reforma Agrária, vote Dilma 13!

Para um Brasil mais igualitário e fraterno, vote Dilma 13!

Pela dignidade da vida, vote na guerreira-lutadora Dilma 13!


*************

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Recomendo este artigo

Frei Betto: Dilma e a fé cristã

Reproduzo artigo de Frei Betto, publicado na coluna
"Tendências/Debates" da Folha de São Paulo, 10/10/2010

Em tudo o que Dilma realizou, falou ou escreveu, jamais se encontrará uma única linha contrária aos princípios do Evangelho e da fé cristã.

Conheço Dilma Rousseff desde criança. Éramos vizinhos na rua Major
Lopes, em Belo Horizonte. Ela e Thereza, minha irmã, foram amigas de
adolescência.
Anos depois, nos encontramos no presídio Tiradentes, em
São Paulo. Ex-aluna de colégio religioso, dirigido por freiras de
Sion, Dilma, no cárcere, participava de orações e comentários do
Evangelho.
Nada tinha de "marxista ateia". Nossos torturadores, sim, praticavam o ateísmo militante ao profanar, com violência, os templos vivos de Deus: as vítimas levadas ao
pau-de-arara, ao choque elétrico, ao afogamento e à morte.
Em 2003, deu-se meu terceiro encontro com Dilma, em Brasília, nos dois
anos em que participei do governo Lula. De nossa amizade, posso
assegurar que não passa de campanha difamatória - diria, terrorista -
acusar Dilma Rousseff de "abortista" ou contrária aos princípios
evangélicos.
Se um ou outro bispo critica Dilma, há que se lembrar
que, por ser bispo, ninguém é dono da verdade.
Nem tem o direito de julgar o foro íntimo do próximo.
Dilma, como Lula, é pessoa de fé cristã, formada na Igreja Católica. Na linha do
que recomenda Jesus, ela e Lula não saem por aí propalando, como
fariseus, suas convicções religiosas. Preferem comprovar, por suas
atitudes, que "a árvore se conhece pelos frutos", como acentua o
Evangelho.

É na coerência de suas ações, na ética de procedimentos políticos e na
dedicação ao povo brasileiro que políticos como Dilma e Lula
testemunham a fé que abraçam.
Sobre Lula, desde as greves do ABC, espalharam horrores: se eleito, tomaria as mansões do Morumbi, em São Paulo; expropriaria fazendas e sítios produtivos; implantaria o
socialismo por decreto...

Passados quase oito anos, o que vemos? Um Brasil mais justo, com menos
miséria e mais distribuição de renda, sem criminalizar movimentos
sociais ou privatizar o patrimônio público, respeitado
internacionalmente.

Até o segundo turno, nichos da oposição ao governo Lula haverão de
ecoar boataria e mentiras. Mas não podem alterar a essência de uma
pessoa. Em tudo o que Dilma realizou, falou ou escreveu, jamais se
encontrará uma única linha contrária ao conteúdo da fé cristã e aos
princípios do Evangelho.

Certa vez indagaram a Jesus quem haveria de se salvar. Ele não
respondeu que seriam aqueles que vivem batendo no peito e proclamando
o nome de Deus. Nem os que vão à missa ou ao culto todos os domingos.
Nem quem se julga dono da doutrina cristã e se arvora em juiz de seus
semelhantes.

A resposta de Jesus surpreendeu: "Eu tive fome e me destes de comer;
tive sede e me destes de beber; estive enfermo e me visitastes;
oprimido, e me libertastes..." (Mateus 25, 31-46). Jesus se colocou no
lugar dos mais pobres e frisou que a salvação está ao alcance de quem,
por amor, busca saciar a fome dos miseráveis, não se omite diante das
opressões, procura assegurar a todos vida digna e feliz.

Isso o governo Lula tem feito, segundo a opinião de 77% da população
brasileira, como demonstram as pesquisas. Com certeza, Dilma, se
eleita presidente, prosseguirá na mesma direção.
Frei Betto, frade dominicano, é assessor de movimentos sociais e escritor, autor de "Um homem chamado Jesus"(Rocco), entre outros livros. foi assessor especial da Presidência da República (2003-2004, governo Lula).
____________________________________

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Livre no espaço/tempo

Desenho, bico de pena e aquartela - 14.5 x 10 cms. - 2004
desenho, bico de pena - 14.5 x 10 cms. - 1971

Enquanto uma minoria se atravanca nas praças do mundo, enquanto esta minoria faz guerra por um pedaço a mais de terra, de riquezas materiais, por ganância ou vaidade, insegurança interna ou atrofiamento da capaciade de se dar e ver todos felizes morando bem, comendo satisfeitos, bebendo bom vinho, estudando, convivendo com arte e usufruindo a beleza da natureza, comum para todos, indiscriminadamente, enquanto isso, vou andando sem espaço e tempo.

Com uma canetinha de nanquim, uns tubinhos de aquarela, pincel, água e um papel tamanho cartão postal vou desenhando de acordo com a imaginação ativa. Como é bom desenhar! Desenhar é ato de liberdade; tão simples!

Enquanto há tumultos na praça, me recolho no silêncio da criatividade tendo a música clássica, minha irmã, como companheira pela rádio MEC/fm.
________________________

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Desenvolver a compaixão

Lamentável; nestas últimas semanas como se empobreceu a discussão do Brasil como Nação, País! Quanta baixaria!
Nunca poderia imaginar que chagaríamos tão abaixo do bom nível/ Caronte, filho das trevas, barqueiro dos infernos nos levando para o mundo subterrâneo e nos confrontando rosto a rosto com a deusa Hécate, a mãe devoradora, tenebrosa, obscura que reina no Hades.

Pelo visto teremos que suportar, ainda, o ferver deste fogo diabólico, inconsequente. Quanta ignomínia, infâmia! Recebo bombas de textos/anexos fantasmas sem autoria; nem Plutão, Prosérpina ou Lilith admitiriam receber tanta baixeza impunemente. Por que se aproximar tanto das forças do submundo? Simbolicamente precisamos encontrar uma pista como resposta. E se, para alguns, "Deus está morto", e não vem nos socorrer, a Consciência nos chama a acordar para níveis mais elevados, éticos, e, alteridade.
"Não faça para o outro o que não quer para si mesmo" - princípio cristão.

Uma coisa é verdadeira; quem sustenta nas bases este grandioso país, Brasil, são os milhões de pobres / trabalhadores; homens e mulheres, gente simples do povo, que estão sem entender nada do que ocorre, precisam continuar a dar o suor de meus corpos para terem moradia (quando tem), alimentar e educar seus filhos/as. Tiririca é a imagem representativa do nosso povo? Há o que se pensar!

Recorro a Sua Santidade, o Dalai-Lama:
Se sua ira não for exagerada, o aconselhável é não evitar as situações difíceis ou pessoas que lhe causam contrariedades e o deixa irado. Caso esta postura e prática de disciplina interna não sejam possíveis, procure sozinho em lidar com sua ira e desenvolva a compaixão.
______________________________________

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Reflexões >>>> Brasil

Rio de Janeiro, 3 de outubro de 2010
Martha Pires Ferreira

Para quem, como eu, que viveu e acompanhou os anos de atraso em todas as áreas do saber nos anos de ditadura militar no Brasil, anos sombrios de 1964 aos meados dos anos 80, estamos sem dúvida, vivendo, hoje, avanços democráticos pujantes que nos honra apesar dos tropeços e vergonhosa falta de dignidade de partidos políticos, de civis cidadãos ocupando cargos elevados na vida pública e/ou privada, e de parlamentares/políticos sem princípios, sem consciência de sua responsabilidade como representantes do povo. Apesar de tudo o Brasil avançou; deu um passo na História da nação; interna e externamente.
Hoje a liberdade se tornou tão presente que muitos se acham no direito dos abusos ao dizer qualquer coisa que lhe venha à cabeça por oportunismo, ou como aves de rapina, sem respeitar os direitos e/ou a dignidade dos outros. Calúnias e difamações gratuitas, ou não, são feitas ao vento - eticamente fazendo para com o outro aquilo que não gostaria que se fizesse para si mesmo. O desrespeito humano para com o seu igual, pessoa humana, chegou às vias do absurdo. A liberdade em si mesma não tem limites, tem é grandeza de valores, de dignidade, nobreza de postura.
Se a Juventude atual não entendeu bem o que foi o Brasil das sombras dos anos 60, nem acompanhou os primeiros passos da sua redemocratização, podemos dizer que Ela, a Juventude, está pronta para maiores conhecimentos político-social, para militância política. Jovens atores do amanhã, nova geração por um Brasil mais solidário para com seus pares, com projetos de visão de um todo consciente trabalhando para os mesmos ideais; justiça social, economia, educação de qualidade, segurança pública, cuidados com o meio ambiente, artes, saúde; o bem estar humanitário para todas as pessoas sem exclusões, nem divisões de classe raça ou ideologia religiosa; com respeito para com o princípio de alteridade; inteligente senso de fraternidade em comum; preservação das riquezas naturais. Temos tudo, hoje, para sermos um Brasil feliz e humanamente evoluído em todas as áreas da vida.
__________________________________

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Democracia e Liberdade

Estamos na reta final

______ 3 de outubro de 2010

Só chagaremos ao melhor governo se trabalharmos coletivamente:
com solidariedade, democracia e liberdade.

Pela desigualdade social, pelo desenvolvimento humano:
moradia decente, educação e saúde.

Não aceitar sociedade dividida em classes >
todos juntos somos a raça humana:
oportunidade para todos viverem com dignidade.

Assim penso e me afino com o PSOL

Razão porque voto PSOL
Partido Socialista e Liberdade

Deputado Estadual
Marcelo Freixo ____ 50123
ou

Leninha ________ 50500

Deputado Federal
Chico Alencar _____ 5050

Senador
- Milton Temer ____ 500
-

Governador
Jefferson Moura ___ 50

Presidente
Plínio Sampaio ____ 50

____________________