Páginas

domingo, 13 de junho de 2010

Filosofia

Conheça-te a ti mesmo

Sócrates – Agora, qual será a arte pela qual poderíamos nos preocupar conosco?
Alcibíades – Isto eu ignoro.
Sócrates – Em todo caso, estamos de acordo num ponto: não é pela arte que nos permita melhorar algo do que nos pertence, mas pela que faculte uma melhoria de nós mesmos.
Alcibíades – Tens razão.
Sócrates – Saberíamos, por ventura, que arte aperfeiçoa os calçados se não soubéssemos o que é um Calçado?
Alcibíades – Impossível.
Sócrates – Ou que arte melhora os anéis, se não soubéssemos o que é um anel.
Alcibíades – De fato, não!
Sócrates – Então, por ventura podemos conhecer a arte de nos tornarmos melhores, sem saber o que somos?
Alcibíades – não, isto não é possível.
Sócrates – Entretanto, será fácil conhecer-se a si mesmo? E teria sido um homem ordinário aquele que colocou este preceito no templo de Pytho? Ou trata-se pelo contrário de uma tarefa que não está ao alcance de todos?
Alcibíades – Quanto a mim, Sócrates, julguei muitas vezes que estivéssemos ao alcance de todos, mas algumas vezes também que ela é muito difícil.
Sócrates – Que seja fácil ou não, Alcibíades, estamos sempre em presença do fato seguinte: somente conhecendo-nos é que poderemos conhecer a maneira de nos preocupar conosco; sem isto, não o poderemos.
Alcibíades – É muito justo.

Platão, Alcibíades.
(Sócrates , 469 – 399 a C. / Platão, 428 aC.)
[ Inscrição gravada no templo de Apolo, em Delfos: conheça-te a ti mesmo ]

Um comentário:

Anônimo disse...

Martha querida,

amei isso!
bjs
denise