Páginas

sexta-feira, 6 de maio de 2016

Brasil - atravessando a escuridão

Brasil atravessando a escuridão.

     A República Federativa do Brasil, não é Parlamentarismo, é República. Decidir o mérito de crime de responsabilidade, da Presidenta Dilma Rousseff, só pode ser constituído nos trâmites da República, tendo como base/garantias, a Constituição de 1988.
     Travessia difícil no caminho por uma Democracia participativa, igualitária e justa.  Atravessamos a noite dos sentidos, na escuridão, mas o jogo não terminou.
     Nada simples será efetivar o Golpe. Não se admite já estar com cartas marcadas. Rito de impedimento igual nunca houve na história republicana. Espera-se julgamento imparcial do Supremo Tribunal Federal, dos Ministros de notório saber jurídico e de ilibada reputação. O STF trabalha sem interferências - sabe que a parcialidade destrói a justiça. Cumprirá suas obrigações jurídicas / constitucionais.
     Ouvi de um jurista: “Iniciaram este processo de Impedimento da Dilma Rousseff e não saberão como terminar”. O que está em jogo é o Estado de Direito.
  Comprem a uma Constituição e leiam para um bom embasamento em acompanhamento jurídico. Trata-se de grave julgamento. Que não se vulgarize a Constituição – Cap. III - Do Poder Judiciário // Seção II - Do Supremo Tribunal Federal – ler Art. 101 e 102: 1º... a)... b)... c)...
     Um pouco de cultura jurídica é bom. O Brasil não é uma republiqueta, mas uma nação das mais poderosas do mundo com suas riquezas naturais.
     O jogo não está perdido. Dilma resiste. 


 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Nenhum comentário: