Páginas

terça-feira, 25 de junho de 2013

Sobre os movimentos dos Jovens no mundo


LER  negrito /aqui -- Artigo publicado neste Blog em 29/dez/2011  
 Reflexões 2011 – 2012 – Delírios meus

 Martha Pires Ferreira

A espécie humana caminha na “noite escura” tomando as palavras do sábio e místico João da Cruz, séc. XVI. Mergulhada na escuridão da época atual, sem apreender ou mesmo enxergar horizontes ou soluções viáveis, possíveis, a raça humana não tem outra saída que repensar o que fez no percurso da História; há de rever, amadurecer, evoluir e elevar-se. Em razão disso estará cada vez mais consciente em 2012, 2014, em direção aos anos 20 deste século que se inicia. A travessia não se faz fácil, estamos todos no mesmo contexto, como Noé em sua barca.
Os povos cada vez mais próximos por razões tecnológicas, político-econômico, religiosas e criatividade terão que dialogar em confrontos crus, dolorosos e belos ao mesmo tempo. Confrontar o outro, sua sombra, sua mesma espécie, mas de etnia distinta é rever-se no espelho das possibilidades a imagem do diferente; forças demoníacas e angelicais. Sem o confronto com a sombra, com o desconhecido, não haveria saída, seria a morte, o suicídio da civilização.
O estar diante do outro que nos diferencia é puro exercício para as transformações radicais em seus fundamentais valores em todos os níveis culturais, morais, sócio-políticos, econômico-financeiro, religiosos e, sobretudo humanos. Acima do progresso técnico-científico somos pessoas humanas com toda a Natureza Mãe. Somos todos filhos de Gaia.
O eco, clamor das nações, se estende aos quatro cantos do mundo; verdadeira e autêntica revolução molecular.
Ninguém segura a geração nascida a partir de janeiro de 1986 / 90, cada dia mais ocupando espaços em todo o planeta Terra. Importantes conjunções celestes se formaram nos céus, ciclos semelhantes se deram há mais de quatro mil anos, quando surgiu a escrita e agora a internet.
Os soberanos "donos do mundo" se curvarão e cairão de joelhos. Nada ficará estanque, sem fenda. Presenciaremos perplexas as quedas dos grandes Impérios já enfraquecidos. A potência das novas gerações se aproxima e vem surpreender ao colocar-se como não se esperava. Novos valores impor-se-ão a passos surpreendentes como um salto quântico. Perceberemos como movimento em espiral a expansão e o alargamento da consciência.
Não gosto de usar jargão astrológico, entretanto é bom anotar o observado, a riqueza simbólica do Zodíaco: o planeta Plutão, o senhor dos infernos, o mais devastador, renovador e abundante em riquezas percorre o signo de Capricórnio (rege o elemento e domínio da terra, o sólido - os joelhos, os ossos), Netuno, senhor das emoções, intuição e transcendência passará por Peixes (rege as águas, as emoções - os pés), Uranos, o imprevisível e criativo, o signo de Áries (rege o fogo, a energia vital - a cabeça, o cérebro). Saturno, senhor do tempo, da severidade e da crua realidade (falando de modo sintético) percorrerá nos céus, nos próximos anos, quando Júpiter, a justiça, a ordem, a elevação encontrar-se-á com ele no signo de Aquário (rege o ar, as idéias - os tornozelos, os nervos).
Sinalizados pelo Arquiteto Celeste assistimos as mais radicais e espantosas transformações necessárias para a evolução da espécie humana – trabalhemos pela aproximação dos opostos, assim estaremos cada vez mais caminhando para a Era de Aquários, Era do Humanismo, Era da Igualdade fraterna, Era Paradisíaca, utópica, aqui no planeta Terra é possível em nosso imaginário e realidade - basta ouvir a Natureza em sua magnitude.

Com a tocha da plena atenção, bem acesa, saibamos atravessar com beleza e altivez este tempo histórico riquíssimo para a completude da criação - humana e divina - Unus Mundi.
_____________
Nota: Plutão revolução/translação em 248 anos, aproximadamente. Netuno, 164 anos. Uranos, 84 anos. Saturno, 29 anos e Júpiter, 12 anos. Os outros astros são rápidos.____________

Um comentário:

Clara Acker disse...

Martha, agora com Júpiter ingressando em Câncer, fazendo um trígono com Saturno em Escorpião e Netuno em Peixes, não terá soado a hora de uma nova utopia para o mundo? Vemos que os movimentos estão pipocando pelo planeta, que as populações, encabeçadas por jovens indignados, parecem fartas do modelo capitalista vigente, no qual o poder econômico dita e impõe regras aos povos que ele mesmo não cumpre. A Grécia e muitos outros países hoje estão pagando caro pelos erros de Wall Street. Não queremos apenas que os serviços públicos funcionem, que haja transparência nos gastos públicos, mas um novo paradigma societário, de um planeta sem fome, sem fronteiras, bem cuidado, justo e libertário. Uma nova organização da vida sobre a Terra, com novos direitos, horários de trabalho de no máximo 4 horas diárias, tempo para o ócio produtivo, uma identidade terráquea que se substitua a passaportes nacionais, uma sexualidade liberta das opressões religiosas, uma prioridade à vida...