quinta-feira, 1 de julho de 2010

Darel Valença Lins

Um dos mais importantes artistas plásticos, contemporâneo, é sem dúvida Darel Valença Lins / de Pernambuco, Palmares – 1924. Nos anos 50 veio para o Rio de Janeiro e aqui vive.
O que é ser contemporâneo? É ser criativo, consciente de sua produção, na atualidade; assim é Darel. Fiel a sua trajetória e ao seu tempo marca presença, com grande produção, na História da Arte brasileira. Alegria para os olhos e para a sensibilidade apreciar suas 120 obras expostas na Caixa Cultural, RJ – Av. Almte. Barroso, 25/centro! A exposição estará aberta até dia 1º de agosto 2010. Nesta mostra De Corpo Inteiro, 60 décadas de produção, podemos ver seus maravilhosos desenhos, gravuras e pinturas. Ainda estudos com várias técnicas, cadernos de anotações, ilustrações /aquarelas, em vitrine, numa cuidadosa montagem por temas. Os traços e pinceladas de Darel são de requintada beleza.

Conhecia pouco o trabalho de Darel Valença e me aproximei dele nos anos 60, depois que retornou da Europa, de seu Prêmio de Viagem. Encantava-me por sua obra; suas gravuras personalíssimas em metal, seus desenhos livres, de técnica apurada. Sua pessoa criadora, inteligente, sua fala culta e instigadora, sua irreverência, sua figura mítica jupteriana sempre sensual, sedutora, maliciosa. Aprecio-o muito como ser humano, pessoa alerta. Devo a Darel minha persistência no exercício do desenho por todos estes anos de minha vida, sem me preocupar em me destacar nas Artes Plásticas >>> apenas manter o prazer dos traços a bico de pena, linhas e aquarelas livres quase que sem direção – adágios! Ele me disse: “Desenhe, você já tem o seu traço pessoal” >>> ao ver meus rabiscos em pequenos papéis. Neste ponto foi um mestre do estímulo!
E mais, devo a Darel ter conhecido Nise da Silveira, embora Maisa Byington, sua mulher, primeiro, ter me emprestado o livro de Nise; Jung, Vida e Obra, o qual me impressionou profundamente. Foi Darel quem telefonou para a Doutora e disse com voz imperativa: “Nise, está aqui uma pessoa elétrica com você, quando ela pode ir aí levar os desenhos dela para você ver?”. Logo estava eu, numa 4ª feira de 1968, em casa da Dra. Nise, e naquele mesmo dia compartilhando da sua sabedoria no Grupo de Estudos C. G. Jung - depois com os anos, aprendendo a organizar o meu pensamento, estudar imagens do inconsciente, mitologia, psicologia da esquizofrenia, colaborar em sua obra e sermos amigas para sempre. Sou eternamente grata a Darel pelo laço que me fez com Nise.

Com o fato de se mudarem de Santa Teresa e com o nascimento de sua filha com a doce Maisa, fomos perdendo os nossos contatos. A vida é assim; um fluxo contínuo. Em exposição adquiri sua belíssima gravura - Uma gata II.
Viva Darel, criador apaixonado pela poesia, artes plásticas, música, mulheres, cultura, vida! Exposição imperdível!
______________________________

2 comentários:

Anônimo disse...

Martha,
Neste sábado, dia 31/07, às 16h haverá lançamento do catálogo e visita guiada com a presença do curador, de Darel, Maisa e da Mariana filha deles.
que linda postagem sobre a exposição,
um abraço, Maria Byington, afilhada da Maisa

Martha Pires Ferreira disse...

Maria,
Obrigada por suas palavras.
Que alegria rever Maisa, o inquito Darel de sempre, firme e saudável,e a linda Mariana com seus filhos.
A Exposição belíssima para nossos olhos. E Catálogo.
meu abraço, martha