Páginas

sexta-feira, 30 de maio de 2008

Chave para saltos quânticos

Astrologia

Importante em Astrologia é saber fazer analogias. Reitero alguns pontos básicos em minha linha de pensamento. Os astros sugerem; não expressam verdades em si mesmo. A Astrologia age como um processo de autoconhecimento, de descoberta do si mesmo. Outros caminhos são a yoga, a psicologia analítica, a psicanálise ou mesmo a meditação.
O Mapa Natal é a carta pessoal que o Arquiteto celeste escreveu para cada um de nós no instante do nascimento com preciosas sinalizações. Cabe ao bom astrólogo decifrar o que estava escrito naquele momento dado. Os astros sinalizam e o interprete, o astrólogo, é que tem dificuldades maiores ou menores em analisar com precisão as mensagens do Sol, da Lua, dos planetas e de todas as configurações celestes.
Em sua beleza e dinâmica, a Astrologia não se prende ao determinismo, ela se expande na disponibilidade que cada ser humano pode conferir ao seu próprio ser no caminho para a auto realização, para o seu desenvolvimento pessoal. Processo difícil e riquíssimo de encontros e desencontros, e de novos achados. A Astrologia age como convergência de fenômenos. São os planetas projetados nos oferecendo múltiplas combinações, com os mais variados recursos de leitura, numa linguagem simbólica.
O movimento diário dos planetas indica as possibilidades para o crescimento, a evolução da personalidade como um todo; a passagem do estado de ser mais elementar, primário, para outro transformador e mais elevado em conhecimento.
Acompanhamos através das progressões, trânsitos, revoluções solares, evolutivos, e outros recursos de leitura a projeção de nossos passos e verificamos o processo de nossas potencialidades criadoras exigindo de nós grandes esforços. Pelo livre arbítrio transcendemos ao determinismo implacável e nos colocamos diante da liberdade para saltos quânticos, isto é, atingirmos níveis de consciência mais elevada. Verdadeiro trabalho alquímico. É o ser humano polindo sua natureza primeva, rebelde, imatura e atingindo processos depurados onde a energia vital é plena em realizações, felicidade e naturalidade de ir e vir, de criar e ser tal qual se é em essência.
Estamos caminhando passo a passo, como que perdidos sem saber a direção, com toda a espécie humana e todas as grandezas deste belíssimo planeta Terra, nesta passagem dificílima que é avançarmos, darmos o salto na História, da Era do Ter para a Era do Ser. Da era do possuir, consumindo, para a era do viver sendo, amando, sorrindo. A esperança de um salto quântico em partilha, justiça social, grandeza humana.
Preciosos sinais se fazem notar: os três últimos signos do Zodíaco estão sendo visitados por planetas lentos/trans saturninos - Capricórnio por Plutão, senhor dos mundos subterrâneos, sombrios e da fartura em abundância - Aquário por Netuno, senhor das Águas, dissoluções, sensibilidade e intuições que nos ilumina a travessia - Peixes por Urano, senhor da tempestade, das revoluções tecnológicas e das idéias, imprevisibilidade, solidariedade e da consciência cósmica. Os planetas Saturno, senhor dos limites, rigor matemático e precisão, e Júpiter, senhor da cultura, avanços e expansão, em seus ciclos demarcando as transformações inevitáveis. Na mitologia é o confronto de Cronos e Zeus. O Tempo e as Leis da Natureza fundamentam valores neste processo de crua realidade. Os astros engendram um convite a saltos qualitativos que convergem para o entendimento, a sabedoria, um aproximar-se cada vez mais da essência comum a toda a Humanidade. O Sol, a Lua, os Planetas e todo o Firmamento nos fazem intuir a possibilidade do surgimento de um novo Fogo da criatividade e da afetuosidade no fogão do Arquiteto da Vida. O Criador e suas criaturas felizes tomando o café matinal sem medo, vivendo em satisfação interior e alegria.
MPF (verão de 2008)

2 comentários:

Kuri disse...

Martha, será que você sabe que eu a amo?
Beijos,
Kuri.

Martha Pires Ferreira disse...

Ah, Kuri, poeta! e em Nise nos amamos em tantos encontros!