Páginas

terça-feira, 9 de maio de 2017

Plutão fala sua linguagem celeste

Plutão não é um planeta menor rodando nas galaxias apenas para sabor da ciência. Plutão fala em sua linguagem própria. O infinito é órgão vivo que pulsa em nossos corações sensíveis.  

Plutão registrado em 14 de julho de 2015.
Sonda New Horizons
----------
      Os cientistas se concentram nas configurações técnicas, nas descobertas, em suas precisões - energia - matéria.
          O que o planeta menor Plutão significa, simbolicamente, por sincronicidade, em nossas emoções, percepções, intuições e sensações orgânicas e em nossa inteligência, sensível, sutil? O que me deixa deslumbrada, atraída, é perceber que não existe cisão, separação estrutural, entre estes dois polos de energia – inorgânico e orgânico. A matéria tem alma, é pulsante, energia viva.
          Enquanto ciência Plutão é matéria de grande riqueza em suas características. Enquanto símbolo orgânico e energético este Astro configura, igualmente, natureza riquíssima, transbordante de mistério e magnetismo. Das profundezas, o mito de Plutão traz à tona transformações abissais de nascimento, morte e ressurreição.
          A semente cai em boa terra e morre, misteriosamente renasce em beleza e esplendor. Assim nosso cotidiano, as civilizações, as culturas, nossas vidas pessoais – nascimento, desabrochar e viver, morrer e ressuscitar.
          Plutão a 19º 19’R percorre, hoje, 9 de maio de 2017, o signo de Capricórnio – representação do tempo, dignidade social, status, ambição, estabilidade, domínio, frieza, impiedade, crueldade, poder, realização, cálculo, indústria, opressão, política, precisão, consciência, síntese. Pergunta-se: o que prevalece? O que as circunstâncias determinam – nascimento, estabilidade, morte ou ressurreição. Plutão sinaliza recados celestes para os viventes terrestres. – transformações profundas se fazem. Conscientes caminhamos; a Vida é plenitude.

Nenhum comentário: