Páginas

domingo, 21 de fevereiro de 2016

Paulo Leminski, joia rara

 foto Dico Kremer

Paulo Leminski

Entro e saio
  Dentro
é só ensaio


Não fosse isso
e era menos
Não fosse tanto
e era quase

Passei duas tardes revendo e relendo na CAIXA Cultural RJ / o ser raro e único que é Paulo Leminski.
Quanta riqueza, potência, autenticidade!  Espanto diante de tudo que percorreu como ser humano, como mergulhador cultural.
Joia finíssima seu livro Jesus a. C. - Ed. Brasiliense, 2003 (1ª edição 1984)
Jesus lunático e poeta, como ele; escreve (págs.  89 / 94 / 100):

Jesus está inventando a alma: o super-signo que todos somos ‘dentro’. Essa, talvez, foi a sua revolução, a mais impercebível de todas”.
“Jesus ocupa um lugar muito especial na lista dos (...), Robespierres, Dantons, Zapatas (...), Lenins, Trotskys, (...), Castros, Guevaras, (...)”.

“O programa de Jesus é uma utopia.
Curioso que, na frondosa bibliografia sobre socialismo utópico, nunca apareça a doutrina de Jesus como uma das mais radicais”

“No introito de João, Jesus desprende-se da carne humana.
E começa sua carreira como ideia. Ou como o que?”.
 
Deixa-nos esta pergunta sutil.
Nota: Perdoe-me o editor, minhas referências aqui  /// estou mergulhada na consciência, leveza e generosidade humaníssima de Paulo Leminski. 

Nenhum comentário: