Páginas

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Centenário de Thomas Merton – 1915 - 2015


         


Thomas Merton e Dalai Lama



                             Em vários cantos do mundo cristãos ou não, ateus e/ou pessoas espiritualizadas estão em torno do Centenário de Thomas Merton: monge trapista, cisterciense (1941-1968). Apaixonado pela natureza, rebelde revolucionário inconformado com a insensatez humana, com veemência contestou diante das guerras e atrocidades no mundo. Poeta e pensador. Predestinado e místico. Sem dúvida um dos escritores místicos mais influentes do séc. XX.
          Thomas Merton nasceu na França, Prades. Aquariano de 31 de janeiro de 1915. Ainda jovem foi para os EUA onde continuou seus estudos na Universidade. Acompanhou em intensas as intempéries do seu tempo com simpatias por grupos de esquerda, comunista. Mergulhou em todos os tipos de leituras e viveu grandes amizades. Cansado do mundo em suas contradições, Por reflexões e encontros espirituais converteu-se ao catolicismo. Já monge, se naturalizou americano. Seu pai era da Nova Zelândia e sua mãe da América do Norte. Mais... Thomas Merton na Wikipédia.
          Estando na Ásia, Bangkok, em 10 de dezembro de 1968, foi encontrado morto em seu quarto, de forma inusitada, eletrocutado por um fio desencapado, depois de proferir a conferência Marxismo e Perspectivas Monásticas. Enterrado em seu mosteiro, Gethsemani - USA.
          Amo Thomas Merton, um dos meus grandes Mestres de Vida.
         Até dia 31 de janeiro postarei algo em sua homenagem  
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
                   Oração de Thomas Merton

            Senhor, meu Deus, não sei para onde vou. Não vejo o caminho diante de mim. Não posso saber com certeza onde terminará. Nem sequer, em realidade, me conheço, e o fato de pensar que estou seguindo a Tua vontade não significa que, em verdade, o esteja fazendo. Mas creio que o desejo de Te agradar Te agrada realmente. E espero ter esse desejo em tudo que faço. Espero que jamais farei algo de contrário a esse desejo. E sei que, se assim fizer, Tu me hás de conduzir pelo caminho certo, embora eu nada saiba a esse respeito. Portanto, sempre hei de confiar em Ti, ainda que me pareça estar perdido e nas sombras da morte. Não hei de temer, pois estás sempre comigo e nunca me abandonarás, para que eu enfrente sozinho os perigos que me cercam.

Na liberdade da solidão, editora vozes, 1961. 





Muitas fontes: Sociedade dos Amigos Fraterno de Thomas Merton /
Amigos de Thomas Merton / Centenario-de-thomas-merton.webnode.es /
Thomas Merton Center -EUA

Nenhum comentário: