domingo, 11 de janeiro de 2009

A.C.Bola Harres

louca

louca mãe da Praça de Maio,
Antígona do amor do sangue insepulto
tua ira e coragem amedrontam os raios,
trovejas soluços de dor e de luto
trágica herdeira da estirpe de Laio,
os consolos solertes da igreja e estado
são os mais vis de todos insultos
louca mãe da Palestina ocupada,
planta para sempre privada do fruto
rouca clama ao céu por vingança,
tua voz poderá jamais ser calada,
ninguém ousará abafar o teu canto
apagar do Destino e de toda Memória
o choro inocente de tua criança.
___________________________

3 comentários:

denise disse...

Martha querida,

dolorosamente lindo e triste!

Entrei o ano assim um pouco triste e rodeada por toda esta onda de dor, horror e morte, fica difícil suscitar alegrias. Como tem me entristecido esta guerra insana! E toda essa violência que tem nos assolado!Esta indiferença do homem pelo homem!

Minha alma encontra-se deitada numa caminha sem vontade de levantar-se. Por vezes, coloca os pés fora e ensaia alguns passos. Dá uma voltinha, olha pela janela e admira a natureza com suas cores e flores, encontra alento. Mas quando volta o olhar para dentro de si sente um descontentamento.Já fui mais esperançosa, já não sei mais ...
Hoje saiu o resultado das notas do vestibular. Não passei. Poderia pedir uma revisão de notas mas confesso que prefiro assim. Entre a faculdade e a volta ao Grupo de Estudos, prefiro os nossos encontros, sabia??? A Faculdade faria muito bem para minha porção vaidosa. No entanto, minha porção luminosa prefere a explosão dos saberes, frutos dos nosso encontros mediados por sua estonteante e cativante presença e de nossos amigos, com suas generosas cotas de saberes!!
Acho também que estou com saudade nossas reuniões e de outras coisas mais.
Saudade é uma coisinha chata! Deixa a gente assim meio molenga!rs
Agora vou indo (já falei muito).
um beijo
denise


notinha: se ficou muito feinho este comentário pode deletar, só quis vim dar notícias. O importante é que tu leias!

denise disse...

Martha,

em alusão a minha frase sobre a "indiferença do homem pelo homem" , cito o adorável Guimarães Rosa que nos diz:

"Se todo animal inspira ternura, o que houve, então, com os homens? "
Guimarães Rosa

não é demais?! alguém se habilita a um parecer??

beijos
denise

denise disse...

Marttha,
vima aqui e fiquei assim , toda saltitante!!!
Olha que lindo:

"Não ame pela beleza, pois um dia ela acaba. Não ame por admiracão, pois um dia você se decepciona. Ame apenas, pois o tempo nunca pode acabar com um amor sem explicaçao."

Madre Teresa de Calcutá


**************************
(outro mais lindo!)

" Ama-me por Amor somente "

Ama-me por amor somente.
Não digas: "Amo-a pelo seu olhar,
o seu sorriso, o modo de falar
honesto e brando. Amo-a porque se sente
minh'alma em comunhão constantemente
com a sua".

Porque pode mudar
isso tudo, em si mesmo, ao perpassar
do tempo, ou para ti unicamente.

Nem me ames pelo pranto que a bondade
de tuas mãos enxuga, pois se em mim
secar, por teu conforto, esta vontade
de chorar, teu amor pode ter fim!
Ama-me por amor do amor, e assim
me hás de querer por toda a eternidade.

Madre Teresa de Calcutá



gostou???

beijos
denise